pt PT en EN

Profissão: fotógrafo - A fotografia deixa de ser um impulso para ser um pensamento. Hora de mergulhar na filosofia da caixa preta.

ANOS 80 - NEW YORK / SÃO PAULO

PROFISSÃO: FOTÓGRAFO

Em 1979, depois de breve periodo no Rio de Janeiro, Bernardo parte para Nova York. A intuição já não bastava: era chegada a hora de pensar a fotografia, mergulhar na filosofia da caixa preta.

Selecionado após submeter um portifólio, matricula-se no Curso Avançado do ICP–International Central of Photography em Nova York. Pela primeira vez encara uma disciplina de estudo com acesso a palestras de grandes nomes da fotografia na época: Mapplethorpe, Cartier-Bresson, Cindy Shermann, Duane Michals.

A cada ensaio, sedimentava a consciência de que “o fotógrafo tem que ser responsável por tudo o que está dentro do quadro da foto”. De volta ao Brasil e é contratado como fotógrafo do Caderno2 do jornal “Estado de São Paulo”.

Mergulha na pesquisa de documentos da pré-história, estuda arqueologia e mitologia, viaja pelo Brasil, de Santa Catarina ao Piauí, registrando essas imagens.

Em 1985, participa da XVIII Bienal de São Paulo com as “Imagens da Pré-História no Brasil”, a convite de Berta Sichel, curadora da mostra “Entre a Ciência e a Ficção”.

Principais ensaios do período: Street-Photography / Avenida das AméricasArtistas em NY / Caderno2 / São Paulo Gigante & Intimista / Imagens da Pré-História Brasil

 

 

Linha do Tempo

Linha do tempo da evolução de Bernardo Magalhães - Nem de Tal da Década de 70 até os dias atuais.