pt PT en EN

Raízes do Brasil - Na virada do século Bernardo Magalhães migra para Diamantina, sem prenúncio de cura para o vício da fotografia. Festival de Inverno, patrimônio cultural, projetos comunitários, curadoria de acervos, pesquisa de técnicas fotográficas.

ANOS 00 - DIAMANTINA

RAíZES DO BRASIL

Desde o ano 2000, Bernardo Magalhães sentou praça em Diamantina, referência histórica do ciclo do diamante no Brasil colonial, no alto da serra do Espinhaço, em Minas Gerais. Aqui ele pode ser encontrado tocando o seu aprazível Pouso da Chica, em dois casarões coloniais restauradas por sua iniciativa.

Atua como professor e expositor em várias edições do Festival de Inverno da UFMG. Assina o roteiro do filme “Rede de Pedra”, performance de encerramento do XXVII Festival, em 2002. Envolve-se com a vida cultural da cidade e dedica-se a pesquisa de acervos de fotografia e de laboratório, sua grande paixão.

Principais ensaios do período: Pin Hole / Lápis da Natureza / Rede de Pedra / Ficções / Companhia de Dança Primeiros Passos
Curadoria de acervos: Manuel Tavares / Octávio Penna / Manoel Roque / Geraldo Miranda / Christian Spangler.

 

 

Linha do Tempo

Linha do tempo da evolução de Bernardo Magalhães - Nem de Tal da Década de 70 até os dias atuais.